13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993

Se você costuma ter fortes e frequentes enxaquecas, saiba que isso pode ser umaconsequência da chamadaDisfunção Temporomandibular (DTM).

Sim, é possível que o aumento da intensidade e assiduidade das suas dores de cabeça sejam resultado daquelas perturbações que afetam a musculatura da mastigação ou a Articulação Temporomandibular (ATM).

Traumas na mandíbula, infecções, doenças autoimunes, problemas estruturais presentes no nascimento e, até, fatores psicológicos estão entre as causas da DTM. A disfunção, além aumentar a severidade das enxaquecas, também pode ocasionar: 

  • Sensibilidade e dores nos ombros, no pescoço, e ao redor das orelhas durante a mastigação e a falar, ou ao abrir a boca;
  • Estalos na mandíbula ao abrir e fechar a boca, acompanhados ou não de dor;
  • Zumbidos nos ouvidos;
  • Dificuldade para mastigar ou ter uma mordida repentina desconfortável;
  • Trava da mandíbula ou deslocamento dela; 
  • Inchaço nas laterais do rosto; e
  • Bruxismo.

No post de hoje, porém, vamos nos deter às enxaquecas!

Enxaquecas frequentes e intensas como consequência da DTM 

Para começo de conversa, é preciso esclarecer que, apesar de apresentarem algum tipo de relação, a enxaqueca e a DTM são dois problemas diferentes e independentes — ambos provenientes de causasmultifatoriais. Em estudo publicado em maio de 2017, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) abordaram o assunto.

De acordo com as estimativas dos estudiosos, a DTM não pode ser considerada a causa de problemas como enxaqueca (também chamada de migrânea), entretanto, ela pode facilitar a frequência e intensidade das crises.  

“O que sabemos é que a migrânea não é causada pela DTM. A enxaqueca é uma doença neurológica com causas multifatoriais. Já a DTM, assim como a cervicalgia e outras doenças musculoesqueléticas, é um conjunto de fatores que piora a sensibilidade de quem tem enxaqueca. O fato de ter a DTM pode piorar a migrânea, tanto em severidade quanto em frequências”, explicou  uma das pesquisadoras do estudo, Lidiane Florencio.

Os dados da pesquisa também apontaram que a relação entre a DTM e a migrânea é menor em quem tem poucas crises de enxaqueca, ou enxaqueca episódica — que é aquela em que os pacientes têm menos de 15 dias de dores de cabeça ao longo de um mês. 

“Nosso estudo mostrou que um paciente que apresente migrânea crônica – aquela que ocorre em 15 ou mais dias por mês – tem o triplo de chances de relatar sintomas mais severos de DTM, se comparado a pacientes com migrânea episódica”, destacou Lidiane Florencio.

Tratamentos

Caso você esteja sofrendo com fortes e frequentes dores de cabeça, não hesite em buscar ajuda médica para resolver o problema.

Se a sua enxaqueca tiver relação com as Disfunções Temporomandibulares, em geral, você precisará tratar os dois problemas — e de forma separada. Isso porque, como concluiu o estudo dos pesquisadores da FMRP-USP, a DTM se trata de um dos fatores que está agravando a situação, mas não é a causa dela.

De qualquer forma, a investigação médica a respeito das causas da migrânea, seja ela episódica ou crônica, é fundamental. Assim, você conseguirá um tratamento eficaz, capaz de acabar com a sua dor, ou minimizá-la ao máximo.  

No que se refere às Disfunções Temporomandibulares, a Oral Face Care pode ajudar! 

A clínica está presente nas cidades de Santos (SP) e São Paulo (SP), conta com consultórios equipados com o que há de mais moderno no mercado — e com especialistas altamente qualificados e capacitados para dar a você o melhor atendimentos e as melhores soluções para a DTM. 

Para resolver esse tipo de disfunção, podem ser necessárias, por exemplo, abordagens além da utilização de medicamentos — como a própria mudanças de hábitos do paciente. Também pode ser preciso sessões de fisioterapia, laserterapia e, até, algum tipo de cirurgia. 

O método mais adequado será indicado pelo profissional qualificado na área — como um cirurgião-dentista, especializado em DTM — mediante uma cuidadosa avaliação do caso. 

Saiba mais sobre as formas de tratamento da DTM no blog da Oral Face Care

E se você ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato com a clínica, mande sua mensagem ou marque uma consulta!