13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993

Você costuma sentir dores na face com frequência? Ou ouvir estalos na mandíbula ao abrir e fechar a boca? Ou, então, costuma sentir a sua mandíbula travar ou escutar zumbidos?

Pois saiba que existem vários problemas que podem ser a causa dessas situações, entre eles, a chamada “disfunção temporomandibular“, também conhecida como DTM. O termo dá nome ao conjunto de perturbações funcionais no sistema mastigatório, ou seja, aquelas perturbações que afetam a musculatura da mastigação e/ou a articulação temporomandibular (ATM).

Articulação temporomandibular? Sim, a ATM, por sua vez, é o termo que dá nome aquela articulação que liga o maxilar inferior, que é a mandíbula, ao osso temporal do crânio — aquele que está à frente das orelhas em cada lado da cabeça. Ela é classificada como a articulação mais complexa do corpo humano — e é ela que permite a fala, bem como morder e mastigar os alimentos.

A disfunção temporomandibular é um dos sinais do mau funcionamento da ATM. Mas, calma, assim como existem causas para essa disfunção, também existem os tratamentos da DTM

Como tratar a DTM

Como qualquer outro problema de saúde, para definir o tratamento ideal para a disfunção temporomandibular é preciso antes descobrir as suas causas. Nem sempre essa é uma tarefa fácil, isso porque, muitas vezes, a DTM ocorre sem motivos claros. Outras vezes, no entanto, a disfunção pode ser resultado de:

  • Traumas físicos ou na mandíbula;
  • Infecções;
  • Doenças autoimunes;
  • Fatores psicológicos, como o estresse e a ansiedade;
  • Bruxismo;
  • Tumores.

Nesses casos, o tratamento da DTM baseia-se no tratamento da sua causa. Portanto, a consulta a um especialista — como um cirurgião-dentista, especializado em DTM — torna-se fundamental. É ele quem poderá melhor diagnosticá-lo, identificar as causas do problema e indicar a melhor forma de corrigi-lo. 

A disfunção temporomandibular também pode ser causada por problemas estruturais presentes no nascimento e por fatores como: o uso prolongado de aparelhos ortodônticos, má postura, má alimentação e falta de sono, por exemplo. Mais uma vez, o ideal é que raiz do problema seja identificada por um especialista para que seja estabelecido o tratamento mais adequado para a situação.

Os tratamentos da DTM

Entre os principais procedimentos para o tratamento da DTM estão:

  • O Tratamento Clínico

Este é o primeiro passo na tentativa de resolver ou minimizar as consequências da disfunção temporomandibular. A ideia é eliminar inflamações musculares e articulares e resolver demais problemas, como os citados acima, que podem ser a causa da DTM. Outro objetivo é melhorar o limite dos movimentos da mandíbula — em alguns casos, ela pode até ser reposicionada.

Aqui, pode haver a necessidade:

  • Da mudanças de hábitos do paciente, visando a diminuição do stress e da ansiedade, por exemplo;
  • Da utilização de medicamentos, como anti-inflamatórios, relaxantes musculares, antidepressivos, anticonvulsionantes ou até aplicação da toxina botulínica;
  • E  do uso de placas de mordida, que têm a função de proteger os dentes, aliviar as articulações temporomandibulares e promover o relaxamento dos músculos da região.

Além das placas, existem também algumas técnicas de relaxamento que podem ser eficientes para controlar a tensão muscular na mandíbula e corrigir a DTM. As orientações nesse sentido podem ser passadas pelo dentista especialista em DTM ou por psicólogos e fisioterapeutas.

  • A fisioterapia 

Para o tratamento da DTM quem também pode ajudar, trabalhando lado a lado com o cirurgião-dentista, é o fisioterapeuta. Isso porque através de aparelhos fisioterápicos ou da mobilização das articulações temporomandibulares, é possível corrigir a disfunção da ATM e impedir a progressão da dor do paciente.

Outros profissionais que podem trabalhar em parceria com o dentista, são: ortopedistas, reumatologistas, neurologistas, otorrinolaringologistas, fonoaudiólogos e psicólogos.

  •  A termoterapia 

​​​​​​​A termoterapia trata-se do uso de compressas, frias ou quentes, dependendo da situação, para auxiliar no combate à DTM. As compressa frias são usadas principalmente após um trauma. Já as quentes para combater as dores, já que elas conseguem promover a vasodilatação do local, agindo também na eliminação de substâncias químicas que podem estar contribuindo para a um quadro de disfunção temporomandibular. Mas lembre-se que o procedimento precisa sempre ter indicação do profissional da área.

  • A Laserterapia

Esse tratamento refere-se a uma terapia a laser que não oferece incômodo ao paciente. Ela funciona por meio da bioestimulação de pontos da articulação e de músculos afetados pela DTM. O objetivo do procedimento é o alívio da dor, a redução de processos inflamatórios, o estímulo à reparação tecidual e a prevenção de infecções. Uma das vantagens da laserterapia é a diminuição da demanda por cirurgias.

Para saber mais sobre essa técnica, acesse: Laserterapia no tratamento de disfunções da ATM.

  •  A Artroscopia 

A artroscopia trata-se de uma pequena cirurgia, minimamente invasiva, em que se usa um aparelho acoplado com uma câmera para investigar possíveis regiões afetadas das articulações.

Para saber mais sobre essa técnica, acesse: Técnica minimamente invasiva para desordens da articulação temporomandibular

  •  Cirurgias 

Apenas se nenhum dos procedimentos anteriores funcionar para o tratamento da DTM é que se parte para um processo cirúrgico mais invasivo. As cirurgias são indicadas apenas em casos extremos de DTM — trata-se de um último recurso usado pelo cirurgião-dentista, como é o casos da cirurgia para substituir a ATM, por exemplo, recomendada para casos graves de desgastes e fraturas.

Por isso, é fundamental procurar um profissional de confiança e especializado no problema. Só ele saberá indicar a melhor opção para cada caso.

Ficou com alguma dúvida a respeito do tratamento da DTM ou percebeu algum indício de que você sofre do problema? Agende uma consulta com um especialista da Oral Face Care e livre-se dos incômodos.