13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993

Realizar atividades comuns como mastigar, sorrir, falar e até respirar se torna um transtorno para quem sofre de Disfunção Temporomandibular.  Conhecida como DTM, o termo é utilizado para alterações funcionais, que incluem os músculos da mastigação, a ATM, entre outras estruturas. Ela está entre as que mais contribuem para a queda de qualidade de vida, especialmente das mulheres, que sofrem mais com o estresse.

A DTM pode ser classificada em três tipos principais:

1ª – Muscular

Quando há muita pressão na musculatura do sistema mastigatório;

2ª – Articular

Quando há uma sobrecarga da articulação por causa de traumas ou doenças degenerativas (ex: artrite reumatoide);

3ª – Mista

Quando há ocorrência tanto do distúrbio muscular quanto articular.

As causas dessa disfunção são multifatoriais e, muitas vezes, de difícil diagnóstico. Neste artigo iremos esclarecer seus principais sintomas e como a toxina botulínica tem sido usada com sucesso no tratamento.

DTM transforma atividades comuns em dores e incômodos

Apesar de não haver uma causa única e específica para a DTM, é consenso entre especialistas que alguns hábitos e comportamentos podem colaborar para o surgimento do problema ou agravar a situação, entre eles estão:

  • Apertar os dentes;
  • Apoiar a mão no queixo com frequência;
  • Roer unhas;
  • Mascar chiclete;
  • Traumas;
  • Pré-disposição genética;
  • Estresse.

Quanto aos sinais e sintomas, os portadores da disfunção apresentam sensibilidade muscular e também da ATM ao toque. Estes sinais aparecem em mais de 75% da população adulta portadora da DTM que, além de limitação dos movimentos da mandíbula, sofrem de:

  • Dores musculares;
  • Dores articulares;
  • Dores de cabeça;
  • Estalos na mandíbula e ruídos no ouvido;
  • Dificuldade de realizar os movimentos mandibulares ou até mesmo respirar.

As dores causadas por estes sintomas, entretanto, podem ser combatidas. Esta é a proposta da toxina botulínica, que tem se tornado cada vez mais popular entre os especialistas para tratar  pacientes que sofrem de DTM.

Paralisando a dor com a toxina botulínica

Popularmente conhecida como “botox”, a toxina botulínica é muito utilizada em tratamentos estéticos. Ela interrompe a comunicação entre os músculos e os nervos fazendo com que o músculo deixe de funcionar. De modo geral, ela é aplicada por meio de injeções no rosto para diminuir sinais de envelhecimento. No entanto, sua principal função é como propriedade terapêutica.

No tratamento da DTM, a toxina botulínica vem sendo utilizada por ser uma alternativa pouco invasiva, podendo reduzir significativamente a ocorrência de dores e o bruxismo, satisfazendo a expectativa dos pacientes quanto a sua eficiência.

As aplicações da substância são realizadas em um único atendimento e os efeitos iniciais podem ser notados até 48 horas após as aplicações. Destacando entre eles:

  • Redução das dores provenientes do bruxismo;
  • Redução das dores de cabeça;
  • Relaxamento dos músculos da face mastigação.

Quando aplicada nos músculos mastigatórios, a toxina botulínica impede a contração, que ocasiona o ranger dos dentes, conhecido como bruxismo.

 O que você precisa saber antes de aplicar a toxina

O uso da toxina botulínica na região da face, com finalidade de tratar os sintomas da DTM, está entre os principais avanços da Odontologia. Entretanto, é importante salientar que ela não é indicada indiscriminadamente. Entre as suas principais contraindicações estão:

  • Pacientes que sofrem de doenças neuromusculares;
  • Pacientes que tenham doença autoimune adquirida;
  • Mulheres grávidas e/ou em período de lactação;
  • Pacientes que usam aminoglicosídeos e que possuem reações alérgicas a toxina.

Procedimento deve ser realizado por especialista

É importante salientar que, antes de optar pela toxina botulínica como tratamento para a DTM, é necessário conversar com um especialista na área e realizar uma avaliação detalhada do seu problema com um bom exame clínico que inclui:

  • Pesquisa do histórico de saúde familiar;
  • Exames que incluem eletromiografia dos músculos da face;
  • Exames de imagem como ressonância, tomografia e radiografias.

Somente após isso é possível dizer qual é realmente o seu diagnóstico e as possibilidades de tratamento. A utilização da toxina botulínica é mais uma alternativa terapêutica com redução da dor e praticamente nenhum efeito colateral no tratamento.

Tem alguma dúvida sobre este tratamento? Agende uma consulta com um especialista da Oral Face Care.