13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993

Envelhecimento, traumas, danos e doenças bucais são alguns dos fatores que podem desencadear perda de um ou mais dentes. A falta do elemento dentário traz problemas na mastigação e faz com que a pessoa tenha vergonha do sorriso e baixa autoestima.

A prótese dentária surge como uma alternativa rápida e de baixo custo para devolver o sorriso ideal para cada pessoa. Segundo dados do IBGE, 39 milhões de brasileiros usam próteses dentárias, uma em cada cinco delas tem entre 25 e 44 anos.

  Para entender mais sobre esta alternativa para recuperar os dentes perdidos, continue na leitura:

Se a pessoa perde um dente os que estão ao lado começam a se movimentar e com o passar do tempo ficam mais soltos e sofrem um desequilíbrio em toda a arcada dentária. Dependendo da situação é recomendado um tipo específico de prótese, porém elas podem ser classificadas em:

Prótese fixa

Popularmente conhecida como “ponte” ou “coroa” é recomendada quando a pessoa danifica apenas um dente, por exemplo, em casos de cárie. Quando o dente sofre a lesão, o dentista faz o tratamento do canal e cimenta a prótese unitária.

Porém, esse procedimento só pode ser feito em pessoas que ainda têm parte do dente remanescente, pois é removido apenas o que está danificado e o restante servirá como apoio para colocação da prótese.

Ainda no contexto de próteses fixas, existem diferentes tipos de próteses, entre elas estão:

Coroa dentária: tem o formato de um dente natural, é oca e colocada sobre o restante do dente natural. Geralmente é feita de porcelana ou cerâmica.

Ponte fixa: recomendada para pacientes que perderam um ou mais dentes. A estrutura é igual às demais citadas, porém ela é composta por dentes de porcelana adjacentes unidos que serão fixos nos seus extremos a dente naturais. Sendo assim, as coroas ficam suspensas junto à gengiva preenchendo o espaço onde não há dentes.

Facetas: Espécie de capa fina colada sobre os dentes naturais. Atua cobrindo os dentes que, antes, passam por um processo de desgaste da superfície para receber o material.

Prótese móvel

É um tipo de prótese que permite ao paciente colocar ou retirar da boca a hora que desejar. Elas geralmente são apoiadas diretamente sobre a gengiva e, em alguns tipos específicos, é fixada também pelos dentes remanescentes na boca.

Prótese parcial

Como o próprio nome denuncia, apenas um ou mais dentes são anexados a prótese. Ela pode ser classificada como fixa (prótese parcial fixa) ou removível (prótese parcial removível).

A prótese parcial removível poderá ser também esquelética, caso os dentes existentes tenham condições para servirem de suporte à mesma.

Prótese total

Na prótese total o dentista reproduz toda a arcada dentária do paciente, pode ser a inferior ou superior. Ela é sempre removível, com exceção dos casos em que a prótese é feita sobre implantes que, em alguns casos, pode ser colocada inicialmente uma prótese provisória, antes da definitiva. A prótese total removível é produzida em resina acrílica.

Para que pessoas são indicadas o uso da prótese dentária?

Pessoas que perderam um dente ou mais devido às fatores como acidentes, traumatismos, doenças na gengiva e/ou cárie podem fazer uso de prótese. Outra indicação é para diabéticos ou cardíacos que apresentam problemas que dificultam o processo cirúrgico, essas pessoas podem recorrer à prótese como alternativa não invasiva para corrigir falhas no sorriso.

É importante salientar que após a perda do dente é imprescindível colocar a prótese para que o sorriso, a mastigação, fala e autoestima não sejam mais prejudicados.

Como funciona a colocação da prótese?

A prótese dentária escolhida deverá ser indicada por um profissional, que avaliará o histórico do paciente. Elas são feitas individualmente para cada um.

O processo começa com a confecção de um molde da boca do paciente para que a prótese seja confeccionada sob medida, muitas vezes o molde causa um incômodo momentâneo, mas é indolor. Após, o molde é encaminhado para um técnico de prótese dentária, ele cria uma réplica da boca do paciente para fazer as próteses adequadas.

O profissional deve ser consultado regularmente, para avaliar a condição da prótese e fazer as reparações necessárias.

Após quanto tempo de uso é necessário trocar a prótese?

Não há um tempo programado, pois cada caso deve ser avaliado individualmente. No entanto, é sabido que, após um período de uso a prótese precisará ser reajustada ou trocada.

Com o tempo, a prótese sofrerá um desgaste natural, assim como o corpo sofrerá mudanças. Essas alterações fazem com que as próteses fiquem mais soltas, atrapalhando a mastigação e machucando a gengiva, sendo assim, é recomendado uma avaliação pelo menos a cada seis meses.

Para que sua prótese dure mais tempo e continue bonita é necessário tomar alguns cuidados, como:

Não deixe a prótese secar Nunca utilize água quente para evitar alterações;

Escovar diariamente para retirar restos de alimentos e placa bacteriana;

Escovar a gengiva, língua e palato antes de colocar as próteses;

Ir ao dentista se a prótese sofrer algum dano;

Lembre-se: qualquer tipo de tratamento deve ser feito por um dentista qualificado para que tanto os resultados estéticos e a saúde bucal sejam preservados.

Seu sorriso é seu cartão de visitas, cuide dele. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com os profissionais da Oral Face Care!