13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993
Como a DTM pode prejudicar sua qualidade de vida?

Como a DTM pode prejudicar sua qualidade de vida?

Você costuma ter dificuldades de mastigar, ou sentir dor quando faz isso? Ou, então, quando boceja?  Ainda, costuma sentir estalos na mandíbula, ou frequentes dores de cabeça ou dores de ouvido e, até, dores no pescoço?

Pois, essas são algumas das consequências da chamada disfunção ou desordem temporomandibular (DTM), um dos principais assuntos do nosso blog.

Hoje, vamos falar um pouco sobre e a relação da DTM com a qualidade de vida! 

Como a DTM pode prejudicar a qualidade de vida

A DTM se trata de um problema relacionado à articulação temporomandibular (ATM), e que é capaz de interferir muito na qualidade de vida de quem sobre com ela — em especial, porque a disfunção afeta hábitos simples do dia a dia, como falar, mastigar, bocejar, cantar, dentre outros que exigem o movimento da mandíbula ou dos músculos da região. 

Uma lesão ou inflamação na ATM pode levar, por exemplo, à:

  • Dor na hora da mastigação e fala;
  • Estalos na mandíbula;
  • Inchaço nas laterais do rosto;
  • Agravamento no quadro de enxaquecas do paciente; e
  • Dores de ouvido e no pescoço.

Segundo o que destacou o doutor em Reabilitação Oral, Dr. Bruno Furquim, o impacto da DTM na qualidade de vida do paciente ainda se agrava quando os sintomas da desordem se tornam crônicos. “A dor crônica tem a capacidade de alterar o humor e a cognição, causando sérios impactos na produtividade e qualidade de vida, além de contribuir para o sentimento de desamparo e desesperança. Em alguns casos, o paciente pode, inclusive, apresentar medo de movimentar a mandíbula, por exemplo”. Além de prejudicar a quantidade e qualidade do sono do paciente.

Demora no diagnóstico

Vale salientar que, em muitos casos, demora-se a associar problemas como enxaquecas intensas, dores de ouvidos e dores no pescoço a um problema de saúde bucal do paciente, como é a disfunção temporomandibular. Desta forma, demora-se também a se chegar ao tratamento mais adequado e eficiente para resolver tais incômodos.

“O paciente que tem DTM até chegar ao consultório odontológico já passou por diversos profissionais de saúde, porque sente dores que, num primeiro momento, não são associados à saúde bucal, como : dores de cabeças intensas, dores no pescoço e no ouvido, dificuldade para abrir e fechar a boca ou ainda ouvir barulhos ao fazer esse movimento”, acentua outro especialista no assunto, o Dr. Carlos Mecca, Mestre e Especialista em Cirurgia e Traumatologia-Buco-Maxilofacial e Pós-Graduado em DTM e Dor Orofacial.

Relembrando as principais causas da DTM

São diversos os fatores que levam a um quadro de disfunção temporomandibular ou ao agravamento do problema. Entre eles, estão: 

  • Traumas na mandíbula; 
  • Infecções; 
  • Doenças autoimunes;
  • Bruxismo;
  • Fatores psicológicos — como, por exemplo, o estresse, a ansiedade e a depressão, que alteram a contração da musculatura mastigatória;
  • Problemas estruturais presentes no nascimento; 
  • Alguns hábitos parafuncionais;
  • Uso prolongado de aparelhos ortodônticos;
  • Má alimentação;
  • Falta de sono; e
  • Algum tipo de tumor. 

Para saber mais sobre as causas da disfunção temporomandibular, acesse: Quais são as causas da DTM.

Relembrando os tratamentos da DTM

O tratamento das desordens na articulação temporomandibular baseia-se no tratamento da sua causa. Sendo assim, a consulta a um especialista — como um cirurgião-dentista, especializado em DTM — é fundamental. Identificando, especificamente, o que está causando ou agravando o quadro de disfunção no sistema mastigatório, ele poderá traçar a melhor estratégia para corrigir os danos.

Dentre os principais procedimentos para o tratamento da DTM, estão:

  • O tratamento clínico; 
  • As mudanças de hábito dos pacientes;
  • O uso de medicamentos; 
  • A utilização de placas de mordida;
  • O uso de técnicas de relaxamento; e 
  • Cirurgias, em casos extremos.

Para saber mais sobre os tratamentos da disfunção temporomandibular, acesse: Saiba quais são os tratamentos da DTM.

Procurando um especialista

Quando o assunto é disfunção temporomandibular, a Oral Face Care está preparada para ajudar. A clínica está presente nas cidades de Santos (SP) e São Paulo (SP), conta com consultórios equipados com o que há de mais moderno no mercado — e com especialistas altamente qualificados e capacitados para dar a você o melhor atendimentos e as melhores soluções para a DTM. 

Entre os especialistas da Oral Face, estão:

  • O Coordenador da Oral Face Care, em Santos e São Paulo, Prof. Dr. Fued Samir Salmen (CRO 38423) — especialista em Cirurgia Ortognática e Cirurgia Maxilo Facial; Mestre em Cirurgia Maxilo Facial; e Doutorando em Cirurgia Maxilo Facial pela Faculdade de Odontologia de Araraquara (Unesp);  além de coordenador do serviço de Cirurgia e Traumatologia Facial do Hospital Casa de Saúde Santos e Coordenador do Departamento de Cirurgia Maxilo Facial (CETAO-SP); e
  • A Odontóloga Dra. Regina Márcia Dau Salmen (CRO36475) — especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial (PUCC); Cirurgia Ortognática (Universidade de Havana); Prótese Dentária; Disfunção Temporomandibular e Dor Oro Facial.

Para mais informações sobre a Oral Face Care, acesse facecare.com.br, ou entre em contato diretamente com a clínica, mande sua mensagem ou marque uma consulta!

Enxaquecas frequentes? A causa pode ser a Disfunção Temporomandibular!

Enxaquecas frequentes? A causa pode ser a Disfunção Temporomandibular!

Se você costuma ter fortes e frequentes enxaquecas, saiba que isso pode ser umaconsequência da chamadaDisfunção Temporomandibular (DTM).

Sim, é possível que o aumento da intensidade e assiduidade das suas dores de cabeça sejam resultado daquelas perturbações que afetam a musculatura da mastigação ou a Articulação Temporomandibular (ATM).

Traumas na mandíbula, infecções, doenças autoimunes, problemas estruturais presentes no nascimento e, até, fatores psicológicos estão entre as causas da DTM. A disfunção, além aumentar a severidade das enxaquecas, também pode ocasionar: 

  • Sensibilidade e dores nos ombros, no pescoço, e ao redor das orelhas durante a mastigação e a falar, ou ao abrir a boca;
  • Estalos na mandíbula ao abrir e fechar a boca, acompanhados ou não de dor;
  • Zumbidos nos ouvidos;
  • Dificuldade para mastigar ou ter uma mordida repentina desconfortável;
  • Trava da mandíbula ou deslocamento dela; 
  • Inchaço nas laterais do rosto; e
  • Bruxismo.

No post de hoje, porém, vamos nos deter às enxaquecas!

Enxaquecas frequentes e intensas como consequência da DTM 

Para começo de conversa, é preciso esclarecer que, apesar de apresentarem algum tipo de relação, a enxaqueca e a DTM são dois problemas diferentes e independentes — ambos provenientes de causasmultifatoriais. Em estudo publicado em maio de 2017, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) abordaram o assunto.

De acordo com as estimativas dos estudiosos, a DTM não pode ser considerada a causa de problemas como enxaqueca (também chamada de migrânea), entretanto, ela pode facilitar a frequência e intensidade das crises.  

“O que sabemos é que a migrânea não é causada pela DTM. A enxaqueca é uma doença neurológica com causas multifatoriais. Já a DTM, assim como a cervicalgia e outras doenças musculoesqueléticas, é um conjunto de fatores que piora a sensibilidade de quem tem enxaqueca. O fato de ter a DTM pode piorar a migrânea, tanto em severidade quanto em frequências”, explicou  uma das pesquisadoras do estudo, Lidiane Florencio.

Os dados da pesquisa também apontaram que a relação entre a DTM e a migrânea é menor em quem tem poucas crises de enxaqueca, ou enxaqueca episódica — que é aquela em que os pacientes têm menos de 15 dias de dores de cabeça ao longo de um mês. 

“Nosso estudo mostrou que um paciente que apresente migrânea crônica – aquela que ocorre em 15 ou mais dias por mês – tem o triplo de chances de relatar sintomas mais severos de DTM, se comparado a pacientes com migrânea episódica”, destacou Lidiane Florencio.

Tratamentos

Caso você esteja sofrendo com fortes e frequentes dores de cabeça, não hesite em buscar ajuda médica para resolver o problema.

Se a sua enxaqueca tiver relação com as Disfunções Temporomandibulares, em geral, você precisará tratar os dois problemas — e de forma separada. Isso porque, como concluiu o estudo dos pesquisadores da FMRP-USP, a DTM se trata de um dos fatores que está agravando a situação, mas não é a causa dela.

De qualquer forma, a investigação médica a respeito das causas da migrânea, seja ela episódica ou crônica, é fundamental. Assim, você conseguirá um tratamento eficaz, capaz de acabar com a sua dor, ou minimizá-la ao máximo.  

No que se refere às Disfunções Temporomandibulares, a Oral Face Care pode ajudar! 

A clínica está presente nas cidades de Santos (SP) e São Paulo (SP), conta com consultórios equipados com o que há de mais moderno no mercado — e com especialistas altamente qualificados e capacitados para dar a você o melhor atendimentos e as melhores soluções para a DTM. 

Para resolver esse tipo de disfunção, podem ser necessárias, por exemplo, abordagens além da utilização de medicamentos — como a própria mudanças de hábitos do paciente. Também pode ser preciso sessões de fisioterapia, laserterapia e, até, algum tipo de cirurgia. 

O método mais adequado será indicado pelo profissional qualificado na área — como um cirurgião-dentista, especializado em DTM — mediante uma cuidadosa avaliação do caso. 

Saiba mais sobre as formas de tratamento da DTM no blog da Oral Face Care

E se você ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato com a clínica, mande sua mensagem ou marque uma consulta!