13 3877-7855 / 11 5054-0401 / Whatsapp: 013 99755 3993

A mandíbula travada infelizmente é um problema que vem se tornando cada vez mais comum – e muitas pessoas têm dúvidas sobre o que fazer quando a mandíbula trava, como evitar o problema e, principalmente, qual é o tratamento certo para evitar problemas mais graves.

 

Para saber mais sobre o tema e saber como agir nessa situação, siga na leitura do artigo a seguir e confira nossas dicas.

 

Como reconhecer uma mandíbula travada

 

A articulação entre os maxilares superior e inferior é uma das mais complexas do corpo, responsável por mover o maxilar inferior para frente, para trás e para os lados.

 

A DTM, ou Distúrbio da Articulação Temporomandibular, ocorre quando esta articulação, a ATM, não está funcionando corretamente: a mandíbula está estalando ou travando – impedindo a abertura parcial ou total da boca.

 

Principais sintomas

 

O diagnóstico preciso só pode ser dado por um profissional da saúde bucal, depois de uma série de exames, como ressonância ou raio x, já que muitos dos sintomas que você verá a seguir também são indícios de outros problemas:

 

  • Dores de cabeça (em alguns casos tão intensas como em uma crise de enxaqueca);
  • Dores de ouvido;
  • Dor e pressão por trás dos olhos;
  • Sons de estalo ou dores quando o paciente movimenta a boca – bocejo, mastigação ou abertura ampla da boca;
  • Mandíbulas travadas ou que se desencaixam;
  • Tensão dos músculos maxilares;
  • Mudança repentina no encaixe dos dentes superiores e inferiores.

Por que a mandíbula trava?

 

Pode ser difícil determinar a causa exata do Distúrbio da ATM em um paciente, já que os sintomas podem ser resultado da combinação de fatores como:

 

  • Genética;
  • Artrite;
  • Lesão no maxilar;
  • Estresse;
  • Maloclusão devido à ausência de alguns dentes.

 

Algumas pessoas que apresentam dor ou travamento na mandíbula também tendem a apresentar bruxismo – embora muitas pessoas que apresentem o problema podem não desenvolver distúrbios da ATM.

 

Doenças orais, febres ou outros problemas que apresentam sintomas na boca também podem causar o travamento da mandíbula. Isso pode ocorrer porque os músculos do maxilar inflamam e se desgastam ou ficam fragilizados por conta do inchaço e da fraqueza do tecido. Com isso, os músculos e ligamentos da região não funcionam de acordo, resultando na manifestação do sintoma.

 

O que fazer quando a mandíbula trava

 

Com relação a o que fazer quando a mandíbula trava, existem algumas técnicas que o paciente pode tentar fazer para contornar o problema antes de procurar um profissional especializado. Veja a seguir:

 

  • Relaxar: respirar fundo e tentar se acalmar ajuda a controlar o ciclo de dor causado pelo travamento dos músculos mastigatórios;
  • Utilizar bolsas de água quente nas laterais da boca: um cuidado comum em torno do que fazer quando a mandíbula trava é usar o calor. Ele pode ajudar a relaxar os músculos da região. O ideal é fazer a aplicação por no máximo 45 minutos, sempre protegido por toalhas para evitar queimaduras;
  • Movimentar cuidadosamente a região: alguns pacientes conseguem destravar o maxilar movendo a mandíbula em movimentos laterais e/ou circulatórios, até que a articulação retorne para a posição certa.

Como tratar e evitar o problema

 

Muitos pacientes obtêm bons resultados adotando uma rotina de cuidados – como o uso de medicação para reduzir a dor, o estresse e a tensão muscular como alternativa.

 

Existem também algumas pessoas que experimentam uma boa dose de alívio no problema com acupuntura, quiropraxia, massagens, estimulação nervosa elétrica transcutânea (TENS), ultrassom ou protetores noturnos.

 

Mas em determinados casos, a solução sobre o que fazer quando a mandíbula trava envolve a indicação de uma cirurgia. É por isso que procurar um especialista é fundamental: só assim é possível encontrar a combinação de técnicas mais indicada para o seu caso.

 

Você tem assimetria facial e quer saber se a cirurgia ortognática pode corrigir esse problema? Baixe agora o e-book “Cirurgia Ortognática: identifique se você precisa desse procedimento“!