13 3877-7855 / 11 5054-0401

A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono é uma condição que causa paradas na respiração no paciente, sensação de sufocamento ao despertar e em algumas vezes, o paciente pode também apresentar roncos. Por conta disso, a pessoa fica sonolenta ao longo do dia, o que pode deixá-la irritada e constantemente cansada.

Em alguns casos, a cirurgia ortognática pode ser indicada para tratar a apneia e é sobre isso que vamos falar neste artigo. Confira!

Diagnóstico da apneia

O problema é diagnosticado por meio da polissonografia, exame que registra o fluxo aéreo nasal e oral, o esforço respiratório, a saturação de oxigênio, entre outros.

A síndrome pode ser tratada com algumas mudanças de hábitos do paciente, como a perda de peso, alimentação e prática de exercícios físicos. Em casos de apneia leve a moderada, aparelhos bucais podem ser indicados para posicionar a mandíbula e a língua de uma maneira que impeça a obstrução.

Para casos mais graves, os aparelhos CPAP ou BIPAP são indicados para melhorar o fluxo de ar nas vias respiratórias. Esses aparelhos possuem uma máscara para ser posicionada no rosto, o que melhora a respiração noturna do paciente e, consequentemente, melhora a qualidade do sono e sua disposição durante o dia.

Quando a cirurgia ortognática é indicada

Pode ser indicado ao paciente com Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono passar em consulta com um cirurgião Bucomaxilofacial, porque em alguns casos a diminuição de espaço para passagem de ar é causada por uma deformidade dento facial, na qual o paciente apresenta retrognatismo.

Nesse caso, a mandíbula está em uma posição posterior em relação à maxila, apresentando um padrão facial Classe II, que esteticamente pode deixar o paciente com a impressão de possuir pouco queixo.

A cirurgia ortognática é realizada quando o paciente não se adapta ao uso dos aparelhos (bucais, CPAP ou BI-PAP) ou quando a deformidade dento facial possa comprometer o paciente em outras questões, como problemas na articulação temporomandibular, que pode causar dores de cabeça, dor ao mastigar, dificuldade de deglutição, perdas dentárias e até dores na coluna cervical.

Como a cirurgia é realizada

Além do cirurgião Bucomaxilofacial, um dentista ortodôntico deve ser envolvido no caso para realizar tratamento com aparelho. O tratamento inicial consiste em posicionar os dentes corretamente, e o tempo desse processo varia de acordo com a complexidade de cada paciente, levando em média um ano.

Quando o profissional concluir o tratamento ortodôntico, o cirurgião Bucomaxilofacial começa a realizar o planejamento cirúrgico, alinhando as discussões com o ortodontista e com o paciente. A partir disso, exames de imagem são pedidos para direcionar os profissionais.

A cirurgia é realizada com aplicação de anestesia geral, e a correção cirúrgica pode ser realizada na mandíbula, no maxilar superior ou nos dois, dependendo de cada paciente, corrigindo a posição dos ossos e deixando os dentes alinhados. Os cortes são feitos internamente, pela gengiva, sem deixar cicatrizes visíveis.

Por ser uma cirurgia que também trará benefícios estéticos, o paciente deve relatar suas insatisfações e inseguranças ao médico, que fará o possível para garantir não só uma melhora das funções respiratória e articular, como uma face mais harmoniosa.

O pós-operatório causa dores?

Uma dúvida comum aos pacientes que irão se submeter à cirurgia ortognática, é em relação à dor no pós-operatório. Mas o sistema de “Fixação Rígida do Esqueleto” não permite que o paciente sinta dores.

É normal hematomas surgirem na área manipulada, e o rosto apresentar inchaço. Mas com os cuidados recomendados pelo seu médico, o edema começará a ceder após uma semana.

Alimentação e higiene

Principalmente no primeiro mês, a alimentação deverá ser apenas composta por líquidos e pastosos. Após esse período, o paciente pode ingerir alimentos macios, mantendo uma dieta leve. A mastigação de alimentos moles ajudará a alongar a musculatura, o que fará com que o inchaço comece a ceder.

Outra dúvida comum dos pacientes é em relação à higienização oral. A escovação pode ser realizada normalmente, optando por escovas com cerdas mais macias e tomando cuidado para não prejudicar a cicatrização. Bochecho com produto a base de Clorexidina também é indicado.

Resultados

Durante os primeiros 30 dias, o paciente deve evitar esforço físico. Também se deve evitar exposição solar e evitar esportes coletivos por 90 dias. Após esse período, é possível retornar as atividades normalmente.

Durante a recuperação dos primeiros meses da cirurgia, o paciente já notará melhoras em sua respiração e na sua qualidade do sono. Quando o inchaço começar a diminuir, também será notável a melhora estética proporcionada pela cirurgia.

 

Ficou com dúvidas e deseja saber mais sobre o tratamento da apneia com a cirurgia ortognática? Agende uma consulta para avaliação e indicaremos o melhor tratamento para seu caso!

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page